Toxina botulínica como coadjuvante no tratamento de bruxismo

  • Ana Clara Fernandes Silva Faculdade Patos de Minas - FPM
  • Isabella Cristina Rosa Magalhães Faculdade Patos de Minas - FPM
  • Taís Alves dos Reis Faculdade Patos de Minas - FPM
Palavras-chave: Dor, ATM, Bruxismo, Terapêutico

Resumo

 

Introdução: A toxina botulínica, derivada da bactéria Clostridium botulinum, é altamente qualificada no auxílio do tratamento de algumas alterações, síndromes dolorosas. Desse modo, alguns autores tentam correlacionar o uso da toxina para o tratamento do bruxismo. Sendo assim, a toxina botulínica do tipo A, ou seja, o Botox é considerado um fármaco, que apresenta mecanismos, capazes de inibir os receptores da enzima acetilcolina, permitindo o bloqueio dessa enzima, para que a contração do músculo localizado seja impedida pela toxina aplicada na região. O bruxismo, é um hábito involuntário, que consiste no apertamento, na desoclusão e desgaste dos dentes, podendo induzir dores na articulação temporomandibular (ATM), dores de cabeça ou mordidas na mucosa jugal. Objetivo: apresentar a ação da toxina botulínica na Odontologia, e sua correlação com tratamento do bruxismo, considerando seu mecanismo de ação e eficácia, bem como, sua ação terapêutica. Metodologia: busca por artigos e teses em português e inglês em bases de dados (scielo, scopus e google acadêmico) com as palavras-chave: toxina botulínica, botox, bruxismo, tratamento.

Discussão: de acordo com os estudos realizados, a toxina botulínica como coadjuvante no tratamento do bruxismo, é positivamente benéfica, ressaltando sua eficácia terapêutica e seu rápido processo de mecanismo de ação e bloqueio das contrações musculares. Além disso, seu uso irá reduzir potencialmente a ingestão de analgésicos, à fim de promover o alívio da dor. Contudo, a toxina é necessariamente utilizada em função de uma reabilitação funcional antescedendo a placa estabilizadora. Em casos de dor aguda, promovida pelo processo inflamatório nos músculos da face a toxina botulínica pode ser um tratamento coadjuvante que favorecerá as demais intervenções. Como desvantagens desse tratamento devemos considerar seu alto custo, e suas contra indicações em pacientes grávidas e lactantes. Conclusão: a toxina botulínica pode fomentar positivamente aliviando os incômodos causados e interrompendo o ciclo espasmo-dor nos quadros agudos desencadeados pelo bruxismo. A indicação de tratamento de bruxismo com a toxina botulínica deve ser feita após avaliação pelo cirurgião-dentista de acordo com a necessidade e sintomatologia do paciente, analisando a perspectiva clínica e fisiológica de cada indivíduo.

Publicado
27-12-2021
Como Citar
Silva, A. C. F., Magalhães, I. C. R., & Reis, T. A. dos. (2021). Toxina botulínica como coadjuvante no tratamento de bruxismo. Revista De Odontologia Contemporânea, 5(1 Supl 2), 47-48. https://doi.org/10.31991/v5n1sup22021toxinabotulinica