Enxerto Microvascularizado De Fíbula Para Tratamento De Sequela De PAF: Relato De Caso

  • Fabiana Alves de Araújo Hospital das Clínicas - UFG
  • Carla Pantaleão Prestes Hospital das Clínicas - UFG
  • Pérola de Castro Barrero Hospital das Clínicas - UFG
  • Wanessa de Oliveira Gomes Hospital das Clínicas - UFG
  • Alex Alvez da Costa Andrade Hospital das Clínicas - UFG
  • Jonh Elton Reis Ramos Hospital das Clínicas - UFG
  • Ítalo Cordeiro de Toledo Hospital das Clínicas - UFG
Palavras-chave: Enxerto microvascularizado, Saúde pública, Projétil de arma de fogo, Violência

Resumo

 

Introdução: As lesões por PAF (projétil de arma de fogo) representam um grande problema de saúde pública, especialmente em grandes centros urbanos e refletem o aumento dos índices de violência e tentativas de autoextermínio. Este tipo de agravo quando acomete o complexo maxilofacial traz consequências para saúde do paciente, associadas a defeitos estéticos, diminuição ou perda de função e morbidades. Seu tratamento pode ser imediato ou tardio, necessitando ou não de reconstrução e reabilitação. Objetivo: Este relato objetiva discorrer sobre a utilização pouco convencional de enxerto microvascularizado de fíbula, para o tratamento de sequela de fratura de mandíbula por PAF. Relato de Caso: Paciente I. P. B., sexo masculino, 56 anos, nega comorbidades sistêmicas, vítima de lesão por PAF em 2015, que seguiu em acompanhamento para reconstrução mandibular com enxerto microvascularizado de fíbula em região de corpo e ângulo mandibular lado esquerdo, sem apresentar queixas álgicas, episódios de febre ou edema em face. Referia apenas dificuldade mastigatória devido à ausência de dentes. O tratamento consistiu em abordagens cirúrgicas multidisciplinares para obtenção do enxerto autógeno da área doadora, no intuito de realizar a reconstrução da região afetada para posterior reabilitação da função mastigatória. Conclusão: O tratamento proposto, além de mostrar-se inovador por combinar técnicas de planejamento e tratamento comum à outras áreas da CTBMF, demonstrou ser uma intervenção segura e resolutiva para o caso em questão levando em consideração suas particularidades.

Publicado
27-12-2021
Como Citar
Araújo, F. A. de, Prestes, C. P., Barrero, P. de C., Gomes, W. de O., Andrade, A. A. da C., Ramos, J. E. R., & Toledo, Ítalo C. de. (2021). Enxerto Microvascularizado De Fíbula Para Tratamento De Sequela De PAF: Relato De Caso. Revista De Odontologia Contemporânea, 5(1 Supl 2), 16. https://doi.org/10.31991/v5n1sup22021enxertomf