Principais sequelas odontológicas pós traumatismo buco-dental

Palavras-chave: TRAUMA., ENDODONTIA., DIAGNÓSTICO., TRATAMENTO ODONTOLÓGICO.

Resumo

Introdução: Traumas dentais são passíveis de ocorrer em distintas idades, seja na dentição decídua ou permanente, estando, mais frequentemente, relacionados a pacientes jovens e região anterior de maxila, devido à disposição anatômica. Como principais causas podemos encontrar: quedas, violência, colisões, exercícios e acidentes automobilísticos. Destaca-se que o traumatismo buco-dental quando relacionado aos dentes decíduos podem ocasionar sequelas nos subsequentes permanentes, como exemplo, a hipoplasia e dilaceração coronária ou radicular. Diante de um paciente pós trauma é necessário realizar uma anamnese detalhada, exames clínicos e complementares como exames por imagem, visando um prognóstico positivo quando relacionado ao dente. Objetivo: Apresentar as principais consequências pós trauma, bem como diagnóstico diferencial correto, visando uma conduta terapêutica viável a ser executada pelos Cirurgiões-Dentistas diante da especificidade das situações existentes. Metodologia: O presente trabalho tem como metodologia uma revisão de literatura exploratória, tendo como principais bases de dados eletrônicos: Google Acadêmico, SciELO e PubMed. Apresentando como critérios de seleção artigos datados entre 2010 e 2021, língua portuguesa e inglesa, que abordam descritores relacionados a trauma, diagnóstico e tratamento odontológico. Discussão: Durante um trauma dental pode ocorrer lesões nos tecidos de sustentação, como o ligamento periodontal, e tecidos dentários, como o esmalte, dentina e polpa, além do envolvimento do osso alveolar. Os métodos de diagnóstico complementares, com exceção do radiográfico, consistem em percussão, teste de mobilidade e sensibilidade, palpação e alteração de cor. Como principais sequelas têm-se: infração, fratura de esmalte, esmalte-dentina com e sem exposição pulpar, fratura corono-radicular com e sem exposição pulpar, fratura radicular e alveolar, concussão, subluxação, luxação extrusiva, lateral, intrusiva e avulsão. Os tratamentos dos diversos traumas supracitados podem variar desde colagem de fragmentos (quando possível), passando por restaurações em resina composta, tratamento endodôntico, aumento de coroa clínica, fixações, reimplante dentário, dentre outros. Porém, existem casos em que poderá levar a condenação do dente traumatizado, ocasionando ao paciente prejuízos irreparáveis que poderão interferir no sistema estomatognático, bem como comprometimento estético. Salienta-se que o meio de armazenamento do dente deve ser feito utilizando preferencialmente a solução de Hanks, mas em casos de urgência pode-se utilizar soro fisiológico, saliva ou leite. Conclusão: Dado o exposto, conclui-se que traumas são ocorrências relativamente comuns e de grande importância ao Cirurgião-Dentista. Cabe ao profissional um diagnóstico preciso e delineamento do melhor plano de tratamento para o caso individualizado, frisando que as complicações estão diretamente relacionadas ao tipo, tempo e qualidade do tratamento. Vale ressaltar que os pacientes devem ser orientados com relação a possíveis quadros pós trauma (sintomatologia dolorosa, necrose pulpar, reabsorção radicular interna e externa, anquilose, obliteração do canal radicular e escurecimento coronário) e a importância do acompanhamento periódico.

Publicado
27-12-2021
Como Citar
Almeida Oliveira, P., Ostemberg Santos, L., Carvalho, L., Santos, L., Santiago, E., & de Sousa, G. (2021). Principais sequelas odontológicas pós traumatismo buco-dental. Revista De Odontologia Contemporânea, 5(1 Supl 2), 37-38. https://doi.org/10.31991/v5n1sup22021traumatismo