Processos Degenerativos na Articulação Temporomandibular:

diagnóstico e tratamento

  • João Antônio Vitor FPM
  • Geovane Cleber
  • Taís Reis
Palavras-chave: Disfunção temporomandibular, doenças degenerativas, osteoartrite

Resumo

Introdução: A osteoartrite pode acometer diversas partes do corpo, mas, quando se trata de articulação temporomandibular, representa uma das formas menos sintomáticas da doença. Além disso, o quadro clínico pode ser muito semelhante ao de outras disfunções temporomandibulares, o que torna o diagnóstico dos processos degenerativos um desafio para a odontologia. Objetivo: Ressaltar a importância dos processos degenerativos nas desordens temporomandibulares (DTMs), que possuem uma etiologia complexa e controversa, bem como suas diferentes formas de tratamento. Metodologia: Buscas nas bases de dados SciELO, LILACS, PubMEd, MEDLINE e Google Scholar no período de 2002 a 2021, com os seguintes termos de indexação: Disfunção temporomandibular, doenças degenerativas e osteoartrite. Discussão: Em condições fisiológicas, a ATM está sujeita a um processo contínuo de dano e reparo da superfície articular. Entretanto, os processos degenerativos da articulação temporomandibular (ATM) são referidos como osteoartrite quando este vem acompanhado de dor e, em alguns casos, perda de função. A osteoartrite é a forma mais comum de artrite que afeta o esqueleto humano e está geralmente relacionada com o aumento de carga mecânica, tensão e traumatismos das articulações. É uma doença degenerativa focal, crônica e não inflamatória, que afeta primariamente a cartilagem de articulações sinoviais, que está associada a processos de remodelação do osso subcondral e envolvimento do tecido sinovial. A osteoartrite que afeta a ATM encontra-se classificada entre as doenças articulares degenerativas, as quais podem ocorrer na forma generalizada ou localizada, sendo esta última a mais comum. O tratamento e controle da osteoartrite baseiam-se na recuperação clínica da função e em alguns casos das estruturas perdidas por meio de diferentes técnicas e substâncias (como a viscossuplementação, artrocentese ou medicações locais ou sistêmicas) e/ou dispositivos que visam tirar a pressão da articulação. Conclusão: No caso da suspeita da presença de processos degenerativos é de suma importância uma boa anamnese e exames complementares para que seja traçado um plano de tratamento individualizado, evitando danos e limitações maiores para o paciente.

 

Publicado
27-12-2021
Como Citar
Vitor, J., Cleber, G., & Reis, T. (2021). Processos Degenerativos na Articulação Temporomandibular:. Revista De Odontologia Contemporânea, 5(1 Supl 2), 39-40. https://doi.org/10.31991/v5n1sup22021pdegenerativo