Influência da ingestão de bebidas esportivas na saúde bucal

Palavras-chave: Saúde bucal, Suplementos dietéticos, Atletas

Resumo

Introdução: As bebidas esportivas ou também chamadas de isotônicos, são assim nomeadas por apresentarem osmolaridade semelhante à do sangue, em razão da fácil e rápida absorção pelo organismo. A produção desta bebida se deu na década de 80 e desde então seu consumo por parte da população vem aumentando. Sua criação foi voltada principalmente para o consumo por atletas profissionais e amadores, com o propósito de otimizar o rendimento e promover reposição hidroeletrolítica apropriada durante e após a prática esportiva. Estas bebidas geralmente possuem como componentes: a água, açúcar, conservantes, acidulantes, antioxidante, aromatizantes, corantes e minerais. O contato dentário com esta bebida pode ser fator predisponente para o surgimento de erosão dentária e cáries. Objetivo: Tem por finalidade observar os impactos que as bebidas esportivas podem causar no meio bucal. Metodologia: Consisti numa revisão de literatura, realizada através da seleção de artigos relacionados ao tema nas bases de dados SciELO e Google Scholar de 2010 a 2021. Discussão/Resultado: Praticar atividade física requer muito do corpo. Com isso, os atletas tem adotado hábitos cada vez mais comuns de ingerir bebidas esportivas para repor fluídos e eletrólitos que são perdidos pelo suor durante a prática esportiva, assim contribuindo para a hidratação, melhora do desempenho e resistência física. No entanto, essas bebidas podem apresentar ações erosivas aos dentes devido à sua acidez, principalmente quando ingeridas de modo excessivo e por períodos prolongados. A lesão cervical não cariosa é uma doença multifatorial comumente encontrada na rotina clínica odontológica e é caracterizada pela perda progressiva de tecidos dentais na região da junção cemento-esmalte por meio do processo químico, sem comprometimento bacteriano. Cuja a ocorrência gera desconforto e dor, podendo afetar a concentração e consequentemente o desempenho do atleta nas práticas esportivas. Um dos fatores etiológicos para estas lesões é o trauma oclusal, comum a muitas práticas esportivas. O pH da ingestão de produtos ácidos é um outro fator etiológico para surgimento da erosão mas não é o único fator potencial para a ocorrência, dependendo também da intensidade, frequência e a maneira de ingerir. Logo, a xerostomia pode colaborar para uma ação erosiva, visto que a capacidade tampão e o fluxo salivar podem atuar como protetores dos tecidos bucais. A associação destes fatores potencializa a possibilidade do surgimento destas lesões dentárias. E ainda existe o risco da cárie pela ingestão das bebidas esportiva decorrente dos açúcares presentes, visto que estes serão fermentados pelas bactérias presente na microbiota bucal e produzirão substâncias ácidas que carreiam na desmineralização do dente. Conclusão: A Odontologia do Esporte necessita cada vez intensificar suas ações informativas e educativas, para conscientizar e educar sobre sua extrema importância na rotina das atividades esportivas. O profissional odontólogo poderá prevenir através de orientação do uso de forma menos agressiva das bebidas esportivas e monitorar adequadamente para se ter a estabilização da erosão dentária, podendo assim contribuir para o melhor desempenho do atleta em treinos e competições.

Biografia do Autor

Larissa de Fátima Lopes Trindade, Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri

Discente do curso de Odontologia na Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri (UFVJM), Diamantina - MG, desde abril de 2018. Participação ativa como Gerente Administrativa da Empresa Júnior de Odontologia de Diamantina (EJOD), como assessora científica da Liga Acadêmica de Endodontia (LAE) e como assessora de ensino da Liga Acadêmica de Odontologia Científica (LAOC).

Gabriela Leite Paulino, Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri

Discente do Curso de Odontologia da Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri - UFVJM, Diamantina - MG, desde 2018, atualmente cursando o 5º período. Diretora de Recursos Humanos e Qualidade da Empresa Júnior de Odontologia de Diamantina - EJOD. Diretora Administrativa Financeira da Liga Acadêmica de Odontologia Estética –LAOE. Membro colaborador do projeto "Atenção a saúde bucal para pacientes com necessidades especiais" - UFVJM. Foi membro colaborador do Banco de dentes Humanos da UFVJM - 2019.

Publicado
27-12-2021
Como Citar
Trindade, L., Paulino, G., Isolan, C., & Dietrich, L. (2021). Influência da ingestão de bebidas esportivas na saúde bucal. Revista De Odontologia Contemporânea, 5(1 Supl 2), 25-26. https://doi.org/10.31991/v5n1sup22021bebidas