Influência da morfologia da lesão cervical não cariosa e técnica restauradora na progressão do desgaste e recessão gengival

Palavras-chave: Dente Pré-Molar, Desgaste dos Dentes, Retração Gengival

Resumo

Objetivos: avaliar a influência de diferentes morfologias e técnicas restauradoras de lesões cervicais não cariosas (LCNC) no comportamento biomecânico de pré-molar superior e na previsibilidade da progressão do desgaste dentário e recessão gengival por meio do método de elementos finitos tridimensional. Materiais e métodos: com base em modelo virtual de pré-molar superior do banco de dados dos pesquisadores, além do modelo hígido, foram gerados modelos variando: a morfologia da LCNC em dois níveis (1- cunha, 2- arredondada); e técnica restauradora em três níveis (1- não restaurada, 2- restauração da porção coronária e radicular; e 3- restauração somente da porção coronária). Todas as estruturas foram consideradas isotrópicas, exceto por dentina e esmalte que foram ortotrópicas. Após o processo de malhagem, os modelos foram restringidos nas laterais e base dos ossos corticais e medular.  Cada modelo geométrico foi carregado com 100 N em 3 situações: 1- axial; 2- cúspide palatina; e 3- cúspide vestibular. Após análise linear a avaliação dos campos de tensão, foi simulado a ciclagem mecânica para mensuração da previsibilidade de falha de esmalte, dentina, osso cortical e trabecular. Resultados: os resultados obtidos mostraram que a presença de LCNC intensificou os valores de tensão na cervical e que a geometria da lesão não modificou o padrão de distribuição de tensão.  Os modelos com carregamento oblíquo, na cúspide vestibular, mostraram valores mais altos de tensão compressiva, resultando em fadiga mais rapidamente. A restauração total da cavidade apresentou maior dissipação de tensão comparada com a restauração coronária. Conclusão: concluiu-se que a presença de LCNC não restaurada intensificou os valores de tensão na cervical, o contato oclusal deve estar equilibrado e que a restauração total da cavidade deve ser realizada.

Publicado
27-12-2021
Como Citar
Soares, C., Gonçalves, V., & Machado, A. (2021). Influência da morfologia da lesão cervical não cariosa e técnica restauradora na progressão do desgaste e recessão gengival. Revista De Odontologia Contemporânea, 5(1 Supl 2), 27. https://doi.org/10.31991/v5n1sup22021lcnc