Cimentos biocerâmicos: novo paradigma na terapia endodôntica

Palavras-chave: Endodontia, Cimentos dentários, Silicato de cálcio

Resumo

Desde o seu surgimento, no início do século XX, os cimentos biocerâmicos são materiais de inúmeras pesquisas, devido as suas capacidades químicas, físicas e biológicas. O Agregado de Trióxido Mineral (MTA) é um material indicado para diferentes situações clínicas como cimento selador, no retratamento endodôntico, como material de reparação radicular, em cirurgia periapical, em recobrimento pulpar e em desenvolvimento para obturação do sistema de canais radiculares. O objetivo deste estudo foi desenvolver uma revisão de literatura a respeito das características e propriedades dos cimentos biocerâmicos, especialmente o MTA, descrevendo suas aplicabilidades na Endodontia. Foi realizada, no ano de 2020, busca na base de dados PubMed, a partir das palavras chaves: endodontia, cimentos dentários e silicato de cálcio, sendo selecionados artigos publicados entre 2005 e 2020. Os excelentes resultados obtidos com a aplicação deste material se devem, principalmente, à sua biocompatibilidade aos tecidos, capacidade seladora e ao efeito antibacteriano. O MTA encontra-se disponível comercialmente nas versões branco e cinza com denominações de ProRoot® e MTA Angelus®. Desse modo, conclui-se que inúmeras pesquisas têm avaliado as suas propriedades físico-químicas e biológicas e discutido suas vantagens e limitações, quando indicado para suas múltiplas aplicações em Endodontia.

Publicado
01-01-2021
Como Citar
Mendonça, N., Gonçalves, T., Martins, V., & de Sousa, G. (2021). Cimentos biocerâmicos: novo paradigma na terapia endodôntica. Revista De Odontologia Contemporânea, 5(1), 32-38. https://doi.org/10.31991/v5n12021rocbioceramicos