Próteses mal adaptadas como fator de risco para o câncer de boca

  • Mariana Aparecida Alves Pires Faculdade Patos de Minas
  • Anna Gabryelle Costa Rodrigues
  • Leticia Magalhães Silva
  • Roberto Wagner Lopes Goes
Palavras-chave: Câncer bucal. Cavidade oral. Prótese.

Resumo

INTRODUÇÃO: O câncer da boca é um tumor maligno que afeta lábios, gengivas, bochechas, céu da boca, língua (principalmente as bordas) e a região embaixo desta. Estima-se 14.700 novos casos no ano de 2018, sendo 11.200 em homens, segundo o INCA – Instituto Nacional de Câncer. O uso de prótese, quando mal ajustada, pode ser um fator de risco para o surgimento da Hiperplasia Fibro-epitelial Inflamatória (HFI), lesão causada pelo trauma repetitivo. Alguns autores demonstram que quando associado a fatores de risco como uso do álcool e tabaco a incidência de displasia na HFI pode ser condição predisponente a malignização na ação de carcinógenos presentes na cavidade oral. O diagnóstico e tratamento envolvem métodos que devem ser acompanhados pelo cirurgião-dentista. OBJETIVO: Mostrar a prótese mal adaptada como fator de risco ao câncer bucal. METODOLOGIA: Foi realizada uma pesquisa bibliográfica no qual foram eleitos artigos em que o conteúdo aborda a prótese mal adaptada como fator de risco de câncer. CONCLUSÃO: Desse modo, ressalta-se que o uso de técnicas corretas na confecção de próteses dentárias e o acompanhamento periódico dessas próteses pelo cirurgião-dentista são fatores necessários na prevenção e detecção de lesões bucais.

Publicado
20-07-2019
Como Citar
Pires, M. A., Costa Rodrigues, A., Magalhães Silva, L., & Lopes Goes, R. (2019). Próteses mal adaptadas como fator de risco para o câncer de boca. Revista De Odontologia Contemporânea, 3(1 Supl 1), 61. https://doi.org/10.31991/iiisdpbucalv3n12019161
Seção
Resumos ANAIS Simpósio de Detecção e Prevenção Câncer de Boca Noroeste Minas