Candidíase oral decorrente de tratamento quimioterápico

  • Thaís Helena Gonçalves Faculdade Patos de Minas
  • Maria Isabela Siqueira Rocha
  • Víctor da Mota Martins
  • Juliana Nithiele Oliveira Freitas
  • Lia Dietrich
  • Cláudia Maria de Oliveira Andrade
Palavras-chave: candidíase, imunossupressão, quimioterápico

Resumo

 Introdução: Candidíase é uma infecção fúngica primária oportunista, causada principalmente pelo Candida albicans. Fungo comum na cavidade oral, com característica dimórfica, sendo a forma de levedura relativamente inócua e a forma de hifa associada a invasão tecidual. Objetivo: Citar os tipos e características clínicas da candidíase oral e sua relação com pacientes submetidos a quimioterapia. Metodologia: Revisão da literatura relacionada ao tema, disponível em bases de dados online (Scielo, PubMed, BVS, LILACS - Bireme e Medline), de 1998 a 2018, no livro de Patologia Oral e Maxilofacial e no site do INCA. A busca pelo conteúdo foi realizada através das palavras-chaves: candidíase, imunossupressão, quimioterápico e não contê-las no título foi critério de exclusão. Conclusão: A infecção pode se manifestar de forma aguda (pseudomembranosa ou eritematosa), e crônica (atrófica). O surgimento está relacionado aos efeitos do tratamento quimioterápico, que levam a imunossupressão, propiciando a proliferação exacerbada do fungo. O fator xerostomia, também pode ser um efeito decorrente da quimioterapia, e facilita a descamação da mucosa, que associada à produção de fosfolipase pela levedura, prejudica o epitélio e deixa o tecido conjuntivo vulnerável a adesão e multiplicação da cândida.

Publicado
21-07-2019
Como Citar
Gonçalves, T., Rocha, M. I., Martins, V., Freitas, J. N., Dietrich, L., & Andrade, C. M. (2019). Candidíase oral decorrente de tratamento quimioterápico. Revista De Odontologia Contemporânea, 3(1 Supl 1), 24. https://doi.org/10.31991/iiisdpbucalv3n1201924
Seção
Resumos ANAIS Simpósio de Detecção e Prevenção Câncer de Boca Noroeste Minas